segunda-feira, 31 de dezembro de 2018

HIP HOP BELÉM 25 ANOS DE MOVIMENTO
E 34 ANOS DE FUNDAÇÃO HISTÓRICA



Em Belém Cultura Hip Hop comemorou 34 anos em Novembro.

A cultura Hip Hop Paraense completou 34 anos e o Movimento organizado 25 anos de existência e resistência em Belém do Pará.
Ano de 1984 o Grupo Severiano Ribeiro e o Marketing da Avant Premiere do  Filme Beat Street na onda do Break que estreou no Cine Olímpia Chama os Dançarinos de Break para o Lançamento nos cinemas de Belém com a chegada do Filme Beat Street ,com a chegada deste filme Segundo Armando Pantoja e Jorge Break Em Belém a Cultura Hip Hop Começou de Fato em Novembro de 1984 com os Pioneiros Electro boys,Scorpions colors,Brazilian breakrs,Dekanos,Irmãos break,Garotos do break quando estes assistiram o filme beat street no cinema Olímpia e assim Foi o Ponto de Partida e a grande inspiração para juventude desta época iniciado pela Dança da Cultura Hip Hop o Break Sendo o Grupo Electro Boys do Bairro da Pedreira que Iniciou esta história com apoio da Rádio Cidade Morena e o Projeto da Caravana da Street Dance nos Bairros,levando a cultura para os Bairros do Telegrafo,Sacramenta,Pedreira,Barreiro,Praça da República e CAN.
Anos depois Surgem os Discipulos que dariam a Continuidade a Cultura:Equipe de 1988,Rap boys,Street Player,Fator Contrário,Rap Street e o surgimento do Movimento hip hop organizado Mhop 1993,o grupo Estilo de Belém, JCA, Bancada Rap Gospel,América Rap,os elementos desta cultura e sua evolução multiplicando-se e mantendo ele vivo através de seus articuladores representantes,atuantes militantes com objetivo do conhecimento de vivencia e de causa no assunto e assim falar do hip hop de maneira exata,preservando e Reconhecendo os Mestres Antenados com a verdade, multiplicação e continuidade somando para o desenvolvimento criativo,Nestas 3 décadas.
Paraenses do grupo Electro boys são responsáveis por este surgimento do hip hop Belém são eles:

 Armando,Jorge Break,Arlindo,irmãos Breack,Brazilian Break,Camarão,Cliffton Park, equipe de 1984.(Bairro da Pedreira,Sacramenta e Barreiro)
Responsáveis da continuidade e contribuição para o desenvolvimento de novos agentes multiplicadores da cultura do final dos anos 80 para inicio dos anos 90:
Dos B.boys Paulo Fera,Lucas Maluquinho, Augusto Gut,Zeca o Furacão,
 Marcos Zulu King Ninja,Spock,Cacau,Raimundão.
Dos DJs: Magal Sid,Sérgio Lobo,DJ Saulo Teixeira,DJ Roberto Funk,Dj Morcegão,
Dj Ênfase.
Do Rap:Fator Contrários Mcs Carlos Lavareda,Rafael Conde,Davi Reis,Rap Girls
Mbgc,Pjor,Marcelo Magno,JCA,Bancada Rap Gospel,Mano Bira,Tite,Marcos Lgee,Mano Ice.
Do Graffiti: Wellington,Spiro,Metal,Grafiteiros de Marituba e Ananindeua.
Conhecimento 5 elemento:Zulu Ninja Palestras nas escolas e projetos.


Fundadores do Mhop:Fera,Gut,Malukinho,Davi,Rafael,Lavareda,
Welington grafite,e mantendo o movimento com Estilo de Belém e Marcos zulu king ninja.

Jovens que dedicaram suas vidas para o desenvolvimento e a multiplicação da cultura hip hop em Belém do Pará de forma organizada assim como nos municípios e alguns destes aprenderam através das oficinas da interiorização da Fundação Curro Velho a dar aulas e tornaram-se Arte Educadores.Marcos e amigos levaram o Hip Hop para esta Fundação e para o Centur hoje Fundação Cultural do Pará,de uma forma simples o saber tradicional que possuíam e assim conseguiram expandir nas comunidades que Belém tem hip hop com qualidade de informação sobre o assunto.
As Informações Sobre o Hip Hop: Amigos nos ajudavam nessa procura e assim Um Jovem Chamado Diogo sempre viajava para Europa e trazia fitas de música e de video entre campeonatos e festivais com informações sobre a cultura e assim chegou em Belém a Revista The Source Magazine que tinha na capa a foto de Grand Master Flash, Afrika bambaataa e Kool Herc  Nesta edição relata a história da cultura,notas sobre o programa  Yo Mtv Raps e ações da zulu nation nos Estados Unidos da América.

   A FUNDAÇÃO DO MOVIMENTO HIP HOP BELÉM /MHOP, E A BANCADA RAP GOSPEL QUE JUNTOS FIZERAM HISTÓRIA.
A equipe old school dos breakrs de Belém, Djs e Rappers do fator contrário, Mcs e o grafiteiro Wellington, se reuniram e a partir destas informações concedidas por Allan Beat do Sampa Crew e o Jovem Diogo e assim criaram o movimento Hip Hop dos pioneiros de base de Belém. No entanto, devido a repercussão das notícias nas Tvs e Jornais, surgiu a idéia de que ao nome conhecido por movimento Hip Hop organizado, deveria se acrescentar “Pará”, porque o foco era atingir todo os municípios e também homenagear o Estado com a cultura. Assim surge a fundação do primeiro movimento organizado, o MHOP em Novembro de 1993.
A Revista The Source Hip Hop e o Programa Yo Mtv Raps edição Brasil na canal 25 UHF Trouxe Muita Informação do que seria o Principio dessa cultura Assim por Todas estas informações o Hip Hop Belém Passou a Se Chamar por Movimento Hip Hop Organizado do Pará.Preservando um nome Mais Paraense com objetivo de alcançar todos os Municipios do Pará com incentivo de arte educação com a ferramenta de construção chamada hip hop.
O MHOP passou a ser o alicerce da cultura Hip Hop no estado do Pará,este em São Brás organizando a cena, estruturando o trabalho, fazendo tudo aquilo que era necessário para se realizar uma intervenção e/ou evento cultural voltado para a comunidade em geral, sempre regados a música e dança, transformando o cotidiano das comunidades em verdadeiras intervenções levando conscientização e recreação aos jovens das periferias.
O Movimento passou a ser o carro-chefe quando se fala em cenário de eventualidades Hip Hop de caráter de relação internacional em Belém do Pará,sendo inicialmente formado por profissionais liberais, professores, arte-educadores, assistentes sociais, artistas, MC'S (Mestre de Cerimônia), DJ´S (Disque Jóquei), dançarinos, b-boys e grafiteiros e os mais diversos profissionais de áreas distintas, mas sempre relacionado com causas sociais, culturais e artísticas que visam fortalecer o cenário paraense por meio de intervenções, palestras, ações sociais, eventos, festivais, etc.
O movimento funciona da seguinte forma: a cultura em movimento desenvolve mecanismos e assim intervém em determinados lugares da cidade realizando oficinas,eventos e palestras no sentido de fazer com que este ambiente mude a forma “cotidiana” de ser visto, então pela criatividade da arte e lazer, o movimento vai tomando espaço cada vez mais na sociedade Paraense, fazendo com que os jovens daquele determinado lugar sejam atingidos pelos resultados e atividades sociais oferecidas naquele determinado evento ou intervenção, com essa política de paz o MHOP, passou a ser bem visto, com o tempo, através de seus inúmeros projetos sociais e culturais.


A BANCADA RAP GOSPEL

Surge também nos anos 90 Com os Jovens DJ Ênfase, Sandrão, Mano Bira, Blindado e amigos da Bancada Rap Gospel, e todos os grupos de Belém por motivo de resposta à Violência nos bairros do Barreiro, Terra firme e Guamá, criaram um projeto chamado de J.C.A - Jesus Cristo em Ação-que assim poderiam estar em todas as praças e igrejas, utilizando a cultura Hip Hop como ferramenta de construção social, falando da paz que vem de Jesus Cristo e as maravilhas de Deus. Estes deram um grande exemplo de fazer a cultura Hip Hop acontecer nas ruas e praças da cidade de forma organizada e legitima, como por exemplo, o festival Hip Hop Belém, festa de celebração e contribuição de serviços prestados às comunidades carentes, tornando o Hip Hop um movimento de caráter social, quebrando paradigmas.

                                                             

                                               Em Rumo a Evolução
1993 Jovens do Barreiro Pedreira Providência Telégrafo e Sacramenta se Concentravam em Vários Lugares: Na Escola Técnica Magalhães Barata ao Lado da UEPA e No Centro da Associação dos Moradores do Providência,Escola Renato Pinheiro Condurú,Escola Salesiano do Trabalho e Assim aos Sábados Antes de irmos para as Danceterias a Gente aguardava ás 18:00 hrs a Presença de Todos os Jovens de Todos os Bairros de Belém para nosso encontro para reuniões e informes de atualidades sobre o movimento e coisas novas que apareciam no YO  MTV Raps em seguida Aconteciam os Lendários Rachas Bairros vs Bairros e a galera Dançava Primeiro em Frente do Mercado de São Brás Para depois ir para as Festas e Danceterias da Cidade como Spectron,Bolero,Subssar,Circulo Militar,Metrô,Boyte da Tuna,Play House que depois teve o nome de clube de Natação,Pinheirense,Shopp Hauss onde o Dj residente Magal Sid tocava com a equipe da Katus Som 5. 
Nos anos de 1994 a 1996 nos Reunimos Direto na Escola Renato Pinheiro Condurú Convidando vários Grupos para Treinar e Trocar idéias com o Movimento MHOP e Assim Repassar as informações de Revistas Vídeos e Filmes Fazendo a multiplicação do conhecimento Sobre as noticias do Programa Yo Mtv Raps canal 25 MTV  UHF Gravando Fitas de Video e de Música Para Todos que nos pediam para assim saber mais sobre a Cultura Hip Hop.
Em 1997 surge a Funpapa na Perimetral e assim descobrimos um Chão Liso Feito de Madeira e de lá Fizemos Nossa Nova Base de Reuniões Encontros e Treinos com o Objetivo de Multiplicar a Cena Hip Hop na Cidade e quando Acabava os Horários de Treinos Neste Espaço Nós todos íamos andando ou de bicicleta para a Casa Abandonada e em Seguida a Praça do Mercado de São Brás.
                                  


 O Hip Hop em Todos os Bairros de Belém

As Noticias da Repercussão deste Movimento de Jovens Populares amplamente conhecidos e reconhecidos Tornou os Grupos Procurados pela Prefeitura de Belém para Fazer Parte dos Projetos Tv de Rua e Caravana do Povo onde Havia Carretas que se Tornavam em Palcos indo a todos os Bairros de Belém Chegando Até o Distrito de Mosqueiro e Assim Depois Voltamos e Fazíamos Tudo de Novo de Bairro em Bairro e Tudo isso Nós Conseguimos Juntos Com os lideres dos Grupos Ámerica Rap de Canudos Mauro e Dinho, Street Player  Gut e Furacão, Rap boys Fera e Maluquinho que depois mudou nome para Estilo de Belém da Terra Firme,Rap Street e Geração Rap Barreiro Pet  e Alex , Geração Break Alonso e Victor,o Revolução das Ruas Com Pantera e Regis TF,Night Boys e Rap brothers do Barreiro Xareu e Marlon, Electro Boys 2 geração Mauro e Sam do Jurunas e Cremação,o Grupo Tecno Rap com Jollivan o primeiro grupo a ter participação no Movimento Negro Cedenpa ,e o Rap Star Com Djavan e contaram Com apoio dos Beat Of Boys do Bengui  Pascoal e Geovane e Black White do Guamá Domingos e Chinelo e The Moviment Rap da Marambaia  Paulinho e Josymar e foi assim que pela cultura nos unimos e Conseguimos Fazer a Multiplicação do Movimento Hip Hop Organizado do Pará Trazendo a Informação de que tudo que vivemos e a experiência com esta cultura que fez vários Jovens Sair de Gangs de Rua e deixar o Uso de Drogas e isso falávamos Sempre "Diga Não ás Drogas" e "Sim  Dança e a Vida",Durante 4 anos estivemos no palco do TV de rua e a caravana do povo ao vivo com o Mestre de Cerimônia Alberdan Batista no Microfone para que todos e todas entendessem que o Hip Hop já estava ali e que ele eram 5 elementos e Fizemos isso por  anos Direto Com Amor e Dedicação a Cultura e Com a Graça de Deus nós conseguimos Fazer Tudo isso com Fé,Comprometimento,Coragem e Determinação.
Entre os Anos de 1996 a 2000 fizemos tudo isso e do ano 2000 a 2003 continuaram e fizeram uma celebração anual.
                                          



INICIO DO HIP HOP EM SÃO BRÁS.


Mercado de São Brás a cultura hip hop também começou por lá por meio da dança de rua, que antes de ser mercado era um teatro e consta apresentação destes e assim dançaram e firmaram a presença do movimento de dança break,no ano de 1988 onde se deu a noticia da inauguração do centro comercial e cultural de são Brás.
Os  electro boys,rap street do barreiro e o fator contrários Mcs que eram b.boys também e os irmãos fera e maluquinho sempre a caminho passavam por lá,sendo assim todos estes ficavam no aguardo da galera pra ir todo mundo junto pra danceteria carrossel na sede do clube do remo em são brás e depois a praça foi seguindo com grupo Street Player em seguida o grupo black white,beat of boys,geração break,américa Rap e Estilo de Belém ficou treinando lá e se estabeleceu, assim a galera foi chegando.
os guardas e a policia sempre tiveram um motivo para fazer a gente parar com nossas atividades por não conhecer a cultura e nem o movimento mas nós persistimos e continuamos lutando e dialogando,e assumindo nossa identidade cultural hip hop, provamos que não éramos drogados ou marginais a partir do entendimento e da prova real eles entenderam que nossa geração estaria sempre desenvolvendo nossas atividades artisticas culturais em são brás para somar na vida de crianças e adolescentes dos bairros adjacentes.

Nos anos seguintes foi preciso ter autorização para utilização do espaço e assim marcos zulu  ninja foi a funverde,hoje (SEMMA)agendou uma reunião e conseguiu com muita insistência uma pauta para fazer a defesa e conseguir a autorização teve de falar da história da cultura hip hop explicando o real objetivo de fazer o negativo se tornar positivo,a partir disto as pessoas presentes entenderam que se tratava de uma juventude desassistida de politicas públicas e de espaços culturais e assim eles entenderam que a cultura hip hop é a cultura das ruas, é uma arte e com o tempo do desenvolver das atividades e que o hip hop em são brás já estava no uso capião urbano há mais de 5 anos de 1990 a 1996 e continuando as atividades de reuniões encontros e dança break procuramos esta secretaria de meio ambiente e naquele tempo tiveram o parecer favorável que nós precisávamos mesmo deste espaço para ocupar jovens ociosos e Fazer Uma atividade de lazer que fundamos Neste Lugar Ressignificou a praça para um valor Histórico Sócio-Cultural.
Quem vem da periferia sabe que Isso combate o crime porque o break sempre foi a favor da saúde e desta forma estamos somando para diminuição da violência.
 Em 2006 Junto aos feirantes e amigos da praça foi pedida uma revitalização da mesma e nós do hip hop pedimos uma tomada 110 volts e a ampliação do espaço para a dança do hip hop break, quadrilhas e a capoeira e movimentos culturais.
A praça foi revitalizada e entregue as culturas no dia 07 de dezembro de 2007 tendo como abertura de reinauguração a vanguarda do hip hop de Belém com a equipe do break de 80 e 90 grupos de b.boys mantenedores e guardiões da praça do mercado de são brás
vários eventos e campeonatos importantes já foram realizados na praça
e a cultura segue.
Assim continuando nossas atividades culturais desta forma o espaço foi liberado pela luta e resistência do movimento hip hop organizado do Pará.
Com a Realização de eventos e campeonato este espaço da praça deu um impulso aos novos Hip Hopers com a realização de conquista de espaço e outros dando continuação até os dias de hoje.

O Mhop Estilo de Belém é a Vanguarda da Praça do Mercado
muitos grupos que estão chegando agora precisam entender o contexto histórico de luta que sempre traçamos. E a luta Continua ...

 Hip Hop Legitimo Paraense.

O movimento hip hop organizado do Pará e a dinâmica da cidade de Belém, Analisando a construção de territórios na metrópole e em todos estes anos dar continuidade ao hip hop não foi tarefa fácil, envolveu a relação de uma série de agentes sociais que em seus cotidianos apropriaram-se de parcelas do espaço metropolitano, gerando com isto diversos conflitos, contratos e coexistências.
Os jovens do movimento hip hop organizado desde 1993 formaram um grupo de pessoas que aprenderam a partir da fundação curro velho o que é ser arte educador,agente social,formadores de opinião e agentes multiplicadores de territórios de paz no bairros objetivando uma válvula de escape para resgatar e inibir a inserção de crianças jovens e adultos no mundo do crime,pessoas que lutaram por uma formação afim de  usar suas expressões  e desta forma capacitar jovens para surgimento de novas lideranças comunitárias pessoas que lutam pelas melhorias e politica públicas para juventude e seu povo,por meio desta cultura de conteúdo que reivindica seu lugar na dinâmica da cidade com estratégias de atuação visando manter seu reconhecimento e o empoderamento hip hop na correlação de forças junto com outros agentes sociais parceiros e aliados.
Em Belém, assim em outras cidades do mundo, o movimento hip hop fundação faz da periferia urbana seu locus de reprodução e matéria-prima para sua produção artística e atuação política. Dentre as referências do hip hop nacional em Belém, destaca-se o MHOP filiado a Zulu Nation Americana a representação mundial da cultura hip hop que atua, principalmente, nos projetos sociais,visando analisar as formas de atuação do hip hop no mundo na formação de seu território no contexto do bairros,municípios e cidades, bem como as ações do  movimento posse que levam ao protagonismo social e ao desenvolvimento cultural de jovens da periferia da cidade. 




Semana do Hip Hop
A Semana do Hip Hop é estabelecida pela lei municipal N° 8.942 de 31 de julho de 2012 e já reúne jovens de todos os municipios incluindo pessoas da melhor idade em eventos na praças públicas de Belém. Uma das principais propostas do movimento é a preservação da identidade cultural do Hip Hop no cenário histórico artístico, principalmente para os jovens adeptos do estilo.
saber de sua história, valorizar, homenagear os pioneiros e respeitar suas raízes mantendo suas origens.
A primeira semana do Hip Hop foi realizada em 2011, como forma de garantir espaço e destaque para as manifestações artísticas urbanas das comunidades da periferia.
O evento conta com vários serviços de tirada de documentos e ações sociais assim como atrações dançantes da Companhia de Breaking de Belém, batalha de Rap, Graffitti, Djs, Palestras.
Além da coleta de alimentos para doação em comunidades carentes.




O Hip Hop Belém Oficial Tendo Sua Realização as Realizou Seletivas dos Maiores
Eventos de do Mundo Como:
Red Bull, One (Korea,França) Escola de Teatro e Dança da Ufpa,
 Euro-Batlle (Portugal)Polo Joalheiro Igama, 
Raw-Circles (Bélgica)Teatro Gasômetro,
 Freestyle Sessions(Los Angeles Califórnia –USA)
Hangar Centro de Convenções da Amazônia,
Batle Of The Year (Alemanha)Teatro Waldemar Henrique
 e  Anfiteatro da Praça da República,
Break The Floor (Paris-França)&Body Over Dance Suriname
Realizados  No Pará Clube.


Todos organizados pelo produtores culturais do MHOP.
 Equipe de produção Estilo de Belém Zulu King Ninja ,Paulo e Lucas Gadelha,Magal Sid.


Em 2013 comemoram 20 anos,e assim Entre os Anos 2014 a 2016, o Festival faz uma grande festa na Praça da República com tirada de documentos e vários serviços sociais, proporcionando a mesma valorização da cultura Hip Hop como as block partys nos Estados Unidos, onde o encontro de famílias é a principal causa da celebração, tendo crianças jovens e a melhor idade, participando juntos.
Em 2016 o MHOP recebe na Assembléia Legislativa do Pará, a medalha dos direitos humanos Paulo Frota, em reconhecimento a causa de inclusão social, comprometimento com pessoas e grupos de risco social, oferecendo a cultura Hip Hop de forma positiva para resgatar e inibir a inserção de crianças e jovens no mundo do crime e das drogas, sendo ponto de luz no fim do túnel, contribuindo com crianças e jovens a sair dos pontos negativo e assim partir para escolhas de forma positiva, aprendendo a conviver com cidadania e a entender que a vida é bem mais produtiva e feliz, sem violência.

Em novembro de 2017, o MHOP se apresenta no 12º Festival se Rasgum no Show do pai do Hip Hop, Áfrika Bambaataa e o líder mundial da cultura Hip Hop de Nova York, Bronx, visitam o festival de 24 anos do Mhop na Praça Batista Campos.


É incrível como esse movimento Mhop dos jovens, contagiam a cidade e realmente eles estão seguindo os mesmos passos do Hip Hop do Bronx em sua originalidade tendo os old schools mantendo tudo isso vivo”. (Bambaataa, 2017)
Vale ressaltar portanto nesse contexto histórico do movimento Hip Hop em Belém a portanto, fundamental importância do MHOP.
Esse movimento especifíco tem fundamental importância na questão histórica do Hip Hop na capital paraense, assim em como sua continuidade e expansão.
É importante ainda ressaltar que de acordo com as palavras de Bambaataa, a questão da originalidade foi mantida, a essência, o espírito do movimento.

“O hip hop de Belém passou a ser visto não só como uma gama cultural de entretenimento,mas ganhou legitimidade e respeito por seu forte potencial transformador”.
“Sempre vejo estes Pioneiros em São Paulo e Pelo Brasil representando sua Terra e sou Testemunha que desde 1993 estes Fazem a história do Hip Hop Paraense”

Uma Dupla Comemoração Sendo 34 anos de Cultura Hip Hop e 25 anos de Movimento
Parabéns Guerreiros Zulus.
(Nelson Triunfo Pai do Hip Hop Brasileiro)



Em 2018

Estamos fazendo os encontros do hip hop belém bem ao lado do teatro Waldemar henrique na praça da república aos domingos pela manhã das 09:00ás 14:00 com o projeto zulu cypher o encontro de famílias onde desenvolvemos também o projeto estilo de Belém dança de rua para crianças e jovens,estamos com um projeto para circular nas escolas e bairros de Belém chamado hip hop móvel e o mês de novembro comemoramos nossa semana do hip hop de 12 a 20 fazendo uma celebração por onde passamos arrecadando alimentos e somando a tirada de documentos ou seja o lado social do hip hop.




O Movimento Hip Hop Organizado do Pará (MHop) completa 25 anos de atuação social este ano, levando os valores da cultura do hip hop a escolas e periferias paraenses. Ao longo  desses anos surgiram novos agentes multiplicadores da cultura por meio da dança, workshops e palestras educativas. O Mhop com grupo de break “Estilo de Belém” atua para a diminuição da violência na capital, usando a criatividade do estilo e revelando novos bboys e bgirls. Exemplos da cena são os Produtores culturais do hip hop Fera, Maluquinho, Zulu king Ninja, sendo atrações confirmadas em shows e apresentações no Pará, no Brasil e no exterior.
A história do grupo começa em 1993, quando Fera, Gut, Maluquinho, Furacão, Rafael, Lavareda, Davi, Welington e Jhon Raimundão incentivaram a criação do Movimento Hip-hop Organizado do Pará, o MHOP, com o objetivo de passar conhecimento e uma imagem positiva do movimento das ruas para as escolas e comunidades paraenses por meio da dança, diminuindo a violência e levando a cultura para frente. Marcos Albuquerque, mais conhecido como Zulu King Ninja,Palestrando nas escolas e projetos justificando que a cultura hip hop é sem drogas e desta forma desde o inicio deu continuidade às ações do MHOP, mantendo viva a Fundação do Movimento pelos membros fundadores, que contribuíram para a criação do movimento hip-hop no Pará, que antes era apenas conhecida por grupos de break. Hoje, o MHOP é filiado à Zulu Nation, movimento hip-hop internacional com sede no Bronx, em Nova York, liderado por Afrika Bambaataa, que tem como lema a paz, união, amor e diversão. 
Nosso foco desde 1993 sempre foi Trabalhar um hip hop com as comunidades  livre de vícios e drogas sempre proporcionando palestra e doação de alimentos,por isso o titulo “organizado” pois não misturamos movimentos bebidas ou drogas aqui é só a cultura hip hop raiz resume o MHOP.

Em comemoração aos 25 anos desde o mês de Maio o Movimento Teve Celebrações, no teatro Waldemar Henrique Com a Seletiva da Red Bull BC One com destino a Suiça e No Anfi Teatro da Praça da República tiveram a oportunidade da seletiva da Battle of  The Year Seletiva Brasil França  e na terceira edição do ano o Mhop se apresenta no Palco do Teatro da Paz dia 24 de Outubro Pela segunda vez com a orquestra Sinfônica do Estado Amazônia Jazz Band e no Sábado dia 27 no Hangar Centro de Convenções da Amazônia em parceira com a Geek Expo Comemoraram sua celebração em alto estilo com um campeonato de dança internacional em rumo a França Paris com a Seletiva break The Floor.

Teatro da Paz quarta dia 24 as 20:00
Hangar dia 27 ás 14:00
Infos:982977585 


segunda-feira, 21 de maio de 2018





HIP HOP BELÉM FESTIVAL 2018
MOVIMENTO HIP HOP ORGANIZADO DO PARÁ COMPLETA 25 ANOS COM ATRAÇÃO INTERNACIONAL SELETIVA DA RED BULL BC ONE NA PROGRAMAÇÃO DO FESTIVAL HIP HOP PARAENSE MANTENDO AS ORIGENS

https://www.redbull.com/br-pt/a-historia-do-movimento-hip-hop-no-para


https://www.redbull.com/br-pt/a-historia-do-movimento-hip-hop-no-para







terça-feira, 2 de janeiro de 2018



A FUNDAÇÃO CULTURAL DO PARÁ REALIZA A FEIRA LIVRE DE ARTE E CULTURA
E NA PROGRAMAÇÃO O MOVIMENTO HIP HOP ORGANIZADO DO PARÁ 1993 COMEMORANDO SEUS 24 ANOS DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS EM PROJETOS,ESCOLAS BAIRROS AÇÕES SOCIAIS PALESTRAS DE PREVENÇÃO E UTILIDADE PÚBLICA.

http://www.fcp.pa.gov.br/noticias/2234-movimento-hip-hop-do-para-se-apresenta-na-programacao-da-feira-livre-da-fcp

https://g1.globo.com/pa/para/noticia/feira-de-arte-e-cultura-comeca-nesta-quinta-feira-em-belem.ghtml




segunda-feira, 13 de novembro de 2017

HIP HOP BELÉM
MOVIMENTO HIP HOP ORGANIZADO DE BELÉM DO PARÁ CELEBRA 24 ANOS E FAZ PARTE DA PROGRAMAÇÃO DO MAIOR FESTIVAL DA REGIÃO NORTE FESTIVAL SE RASGUM.

http://www.festival.serasgum.com.br/movimento-hip-hop-organizado-do-para-comemora-24-anos/